Conectar ainda mais brasileiros: a prioridade da parceria entre Viasat e Telebras

Visita recente à sede da Viasat na Califórnia comemora conquistas e os próximos marcos de conectividade

Durante as reuniões, Viasat e Telebras assinaram carta de intenção para continuar avaliando novas oportunidades de expandir o trabalho conjunto para conectar ainda mais brasileiros.

Conectar brasileiros em áreas de difícil acesso é uma prioridade para a Telebras e o Ministério das Comunicações. E também para a Viasat.

Essa visão ficou clara em visita recente das autoridades brasileiras à sede da empresa em Carlsbad, no estado norte-americano da Califórnia. Fábio Faria, Ministro das Comunicações, Artur Coimbra, secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, e o presidente da Telebras Jarbas Valente puderam mergulhar em diversas soluções do portfólio de conectividade via satélite da Viasat, incluindo demonstrações focadas em telemedicina e internet comunitária.

Os encontros aconteceram em 16 de fevereiro, e foram concluídos com a assinatura de uma carta de intenção entre a Viasat e a Telebras, apoiadas pelo Ministério das Comunicações. O objetivo é ampliar ainda mais a oferta de conectividade e contribuir para a inclusão digital em todo o Brasil.

Isso é muito importante para nós. Temos quase 50 milhões de pessoas sem celular no Brasil, sem internet. Hoje, já conectamos cerca de 10 milhões de pessoas com a Viasat e a Telebras

Fábio Faria, Ministro das Comunicações.




Conectando pessoas em partes desconectadas do Brasil

O acesso à internet pode impactar a vida de milhões de brasileiros, especialmente de quem vive nas áreas de mais difícil acesso. De 2019 para 2020, o acesso à internet aumentou de 53% para 70% da população na zona rural, segundo o mais recente levantamento TIC Domicílios. Mas ainda há uma distância a percorrer para o número se igualar aos 83% registrados em áreas urbanas – e crescer ainda mais.

Para ajudar a combater a exclusão digital, a visita à sede da Viasat também celebrou o crescimento contínuo da parceria com a Telebras, atendendo o Ministério nas iniciativas GESAC e Wi-Fi Brasil. Atualmente, são mais de 15.000 pontos de acesso instalados, conectando milhões de alunos em escolas públicas.

“A Viasat nos atende com velocidade e qualidade na prestação do serviço e nas ativações [de pontos de acesso à internet] em todo o Brasil”, afirmou Jarbas Valente, presidente da Telebras. “E a satisfação dos clientes é ainda mais importante. Nós atendemos a demanda para políticas públicas do Governo Federal e a Viasat, os clientes privados. É uma parceria que deu certo e que conecta com sucesso muitos brasileiros no país todo”.

Para a Viasat, o sentimento é o mesmo. “Temos orgulho dessa parceria, que representa muito da cultura da Viasat no que diz respeito a conectar pessoas sem acesso à internet. Explorar outras novas maneiras de conectar mais pessoas é um dos nossos principais objetivos para ajudar a continuar reduzindo a lacuna digital no país”, disse Leandro Gaunszer, diretor geral da Viasat Brasil.


De olho no futuro
Durante a visita, a Telebras e o Ministério das Comunicações mostraram-se especialmente interessados em conhecer aplicações da tecnologia via satélite que atendam às necessidades específicas do país. É o caso da saúde, por exemplo.

Um dos pontos-chave presentes na carta de intenção é explorar como a tecnologia de satélite pode ajudar a fornecer serviços de telemedicina em áreas rurais ou de difícil acesso.

Atualmente, a Viasat acessa o satélite SGDC-1 em parceria com a Telebras. Mais oportunidades despontam à medida que novos sistemas de satélites, como o SGDC-2 e o ViaSat-3, entram em cena. ViaSat-3 é uma constelação de três satélites geoestacionários de alta capacidade – o primeiro, com lançamento previsto para este ano, cobrirá o continente americano, incluindo o Brasil – que trarão capacidade de banda larga sem precedentes.


O papel do Brasil no ecossistema espacial global
Quando se trata de discutir o ambiente espacial global, o Brasil com certeza possui lugar de fala. Com dimensões continentais – que também representam certos desafios de conectividade –, o país tem capacidade de ser um líder econômico no mercado de satélites, ao mesmo tempo em que leva inclusão digital até residências, empresas e comunidades em todo o território.

Esse papel de destaque é crucial para aumentar a participação do Brasil em decisões relevantes, incluindo tecnologias e inovações em desenvolvimento, como comunicações híbridas LEO-GEO, ou mesmo questões relacionadas a recursos orbitais e segurança espacial.


Blog Recente